Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, nasceu na pequena cidade mineira de Três Corações, no dia 23 de Outubro de 1940 e tornou-se o maior jogador de futebol de todos os tempos. E ainda que alguns possam questionar ou ter uma posição diferente – o que é respeitável – é impossível não reconhecer os feitos de Pelé: venceu 3 copas do mundo (feito não realizado por nenhum outro jogador no planeta), marcou 1.283 gols e foi eleito o jogador do Século pela FIFA.

Pelé é o rei do futebol. E como todo rei, Pelé tem uma grande história e legado que está eternizada em livros, publicações e principalmente na memória daqueles que o viram jogar. Aqui, vamos contar um pouco da trajetória, realizações e a vida do homem que não apenas conquistou títulos e bateu recordes, mas também parou guerras, criou leis e foi declarado tesouro nacional.

Primeiros passos de Pelé no futebol

Filho de jogador de futebol, o Dondinho que jogou pelo Fluminense e mais tempo pelo Bauru Atlético Clube, Pelé recebeu em casa o apelido de Dico e inicialmente, não gostava de ser chamado de Pelé. O novo apelido surgiu na época de escola, porque Pelé não sabia pronunciar corretamente o nome do seu ídolo, o goleiro Bilé do Vasco da Gama.

Antes de chegar ao Santos, com 15 anos de idade, Pelé jogou por alguns clubes amadores como Sete de Setembro, Canto do Rio, São Paulinho e Amériquinha. Jogou ainda pelo BAC, clube onde seu pai atuou e jogou ainda futebol de salão por uma equipe chamada Radium. Por essa equipe, Pelé disputou um torneio de adultos, tendo ele apenas 14 anos. E embora inicialmente a organização quisesse impedi-lo de jogar, por ser muito jovem, Pelé terminou como goleador da competição.

Descoberto por Waldemar de Brito, Pelé aos 15 anos foi levado ao Santos onde iniciou sua carreira profissional.

A carreira do maior jogador de todos os tempos

Predestinado a ser o protagonista de um Brasil que se tornaria “o país do futebol”, a estreia de Pelé como profissional não poderia ter sido em data melhor, senão em um 7 de setembro, feriado pátrio nacional. Era o ano de 1956 e Pelé atuou na goleada por 7 x 1 frente ao Corinthians de Santo André, marcando inclusive o seu primeiro gol.

Já em 1957, Pelé seria titular no time do Santos e artilheiro do campeonato paulista, marcando 20 gols, o que resultou na sua primeira convocação para a seleção brasileira. Em 1958, além de ser novamente artilheiro da competição, Pelé conquistou seu primeiro título com o Santos, sendo o campeão paulista daquele ano. No campeonato paulista de 1958, Pelé marcou 58 gols, recorde jamais superado até os dias de hoje.

Só no Campeonato Paulista, o Rei foi artilheiro 11 vezes, de 1957 a 1969, e em 1958 ele bateu o recorde da competição com 58 gols. O craque do Santos também foi artilheiro em outras competições como Taça Brasil (2), Torneio Rio-São Paulo (4) e Campeonato das Forças Armadas (1). pic.twitter.com/ehiV3AI3pn

A partir de então, Pelé colecionou títulos e conquistas em sua carreira. Venceu o campeonato paulista 10 vezes, o torneio Rio São Paulo em 4 oportunidades, foi campeão brasileiro 6 vezes e da Libertadores e do Mundo por 2 vezes, todos os títulos conquistados pelo Santos, onde atuou por duas décadas.

Pela seleção brasileira, Pelé conquistou 3 Copas do Mundo, em 1958, 1962 e 1970, além de outras 7 conquistas com a camisa verde-amarela.

Ao final da temporada de 1974, Pelé anuncia sua aposentadoria, mas em 1975 decide jogar pelo New York Cosmos, onde atuou até 1977. E no dia 1 de outubro de 1977 Pelé jogou sua partida de despedida do futebol, em um amistoso entre o New York Cosmos e o Santos, onde Pelé jogou um tempo por cada clube. A partida foi vencida pelo clube americano por 2 x 1 e Pelé foi o autor de um dos gols do Cosmos.

Tesouro nacional

Pelé foi declarado oficialmente como tesouro nacional pelo governo brasileiro, em 1961. Com isso, o Santos conseguiu impedir que o craque deixasse o país, pese todo o assedio de gigantes do futebol, como Real Madrid, Manchester United, Milan, Inter de Milão e Juventus. E isso contribuiu para que Pelé permanecesse no Santos por quase duas décadas.

 
 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Museu Pelé (@museupele) em

Gols marcantes do Rei Pelé

O rei do futebol marcou um total de 1.283 gols em 1.367 partidas, com uma fantástica media de 0,94 gols por partida. Em meio a tantos gols, difícil selecionar apenas alguns, mas vamos destacar alguns gols que foram relevantes em sua carreira.

O primeiro gol de Pelé como profissional

A prefeitura de Santo André organizou uma partida amistosa entre o Corinthians local (atualmente clube amador) e o Santos, valendo o Troféu Independência, alusão a data do jogo, que seria em 7 de Setembro de 1956. Pelé então marcaria seu primeiro gol profissional, aos 36 minutos do segundo tempo. O goleiro a sofrer o primeiro gol de Pelé foi o Zaluar, goleiro reserva do Corinthians de Santo André.

O gol preferido do Rei

O gol considerado pelo próprio Pelé como o mais bonito da sua carreira não foi registrado pelas câmeras. Segundo o rei, esse gol aconteceu no dia 2 de Agosto de 1959, na Rua Javari, contra o Clube Atlético Juventus. Pelé chegou a solicitar a recriação digital do seu gol, contando em detalhes como o mesmo aconteceu.

O gol de placa

É muito comum em uma narração ouvirmos a expressão “gol de placa”. Esse termo surgiu de um gol marcado por Pelé contra o Fluminense, em 1961, em jogo válido pela Copa Rio São Paulo.

Era 5 de março de 1961, quando aos 40 minutos do primeiro tempo, Pelé marca um golaço, o qual, por sugestão do jornalista Joelmir Beting, foi imortalizado com uma placa de bronze, colocada na entrada do Maracanã. Desde então, gols de rara beleza são chamados de “gol de placa”.

O gol 500

Se Maradona marcou 365 gols em toda a sua carreira, o que dizer de Pelé que marcou seu gol numero 500 antes mesmo de completar 22 anos? Foi no dia 2 de Setembro de 1962 em jogo valido pelo campeonato paulista, contra o São Paulo. O jogo terminou 3 x 3, Pelé marcou duas vezes e o segundo gol do rei foi o de número 500.

O milésimo gol

Em 19 de Dezembro de 1969, Pelé chega ao seu milésimo gol. O gol foi marcado em cobrança de pênalti, na vitória do Santos sobre o Vasco, pelo placar de 2 x 1, no Maracanã. O goleiro argentino Andrada até que tentou, mas não pode evitar o gol de número 1000 do nosso rei. Na comemoração, Pelé pediu: “Vamos proteger as criancinhas necessitadas” e foi duramente criticado, chamado de demagogo.

https://www.youtube.com/watch?v=ecFjJyaheKU

O centésimo gol brasileiro em Copas do Mundo

Pelé foi o autor do gol de número 100 do Brasil em Copas do Mundo. Foi na copa de 1970, na grande final contra a Itália. Aos 18 minutos do 1º tempo, Pelé sobe e marca de cabeça o primeiro gol do Brasil na final e o centésimo brasileiro em copas do mundo.

O gol que Pelé não fez

Provavelmente você já ouviu a expressão “o gol que Pelé não fez”. A famosa frase nasce de um lance onde Pelé tentou marcar um gol do meio de campo e a bola passou muito perto, rente a trave esquerda e não entrou. Foi no dia 3 de junho, na Copa do Mundo de 1970, na vitória por 4 x 1 contra a Tchecoslováquia. Desde então, quando alguém marca um gol do meio de campo, tem a honra de ter feito o gol que Pelé não fez.

Todos os títulos de Pelé

Títulos pelo Santos

  • Campeão paulista: 1958, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1967, 1968, 1969 e 1973.
  • Torneio Rio São Paulo: 1959, 1963, 1964 e 1966.
  • Campeonato Brasileiro: 1961, 1962, 1963, 1964, 1965 e 1968.
  • Taça Libertadores da América: 1962 e 1963.
  • Copa Intercontinental: 1962 e 1963.
  • Supercopa Sulamericana dos Campeões Intercontinentais: 1968.
  • Recopa dos Campeões Intercontinentais: 1968

Títulos pelo New York Cosmos

  • Liga Norte-Americana de Futebol: 1977

Títulos pela Seleção Brasileira

  • Copa do Mundo: 1958, 1962 e 1970.
  • Copa Rocca: 1957 e 1963.
  • Taça do Altântico: 1960.
  • Copa Oswaldo Cruz: 1958, 1962 e 1968.
  • Taça Bernardo O’Higgins: 1959

Prêmios individuais de Pelé

  • Ballon D’Or: 1958, 1959, 1960, 1961, 1963, 1964 e 1970
  • Melhor jogador jovem da Copa do Mundo: 1958
  • Chuteira de prata da Copa do Mundo: 1958
  • Bola de Prata da Copa do Mundo: 1958
  • Craque do time das estrelas da Copa do Mundo: 1958
  • BBC Personalidade Esportiva do Ano: 1970 e 2005
  • Melhor jogador Sul-americano do ano: 1973
  • Atleta do Século Jornal L’Équipe: 1981
  • Bola de Ouro Especial da revista Placar: 1987
  • Cavaleiro Comandante da Ordem do Império Britânico: 1997
  • Jogador de Futebol do Século pela UNICEF: 1999
  • Jogador de Futebol do Século Revista France Football: 1999
  • Atleta do Século  Comitê Olímpico Internacional: 1999
  • Atleta do Século Agência de Notícias Reuters: 1999
  • Maior jogador do Século XX pela IFFHS: 1999
  • Maior jogador Sulamericano do Século XX Pela IFFHS: 1999
  • Laureus World Sports Awards: 2000
  • Melhor Jogador do Século da FIFA: 2000
  • Prêmio FIFA Ballon d’Or Honorária: 2014
  • Condecoração Ordem Olímpica (COI): 2016

Títulos que Pelé não conquistou

Mesmo com tantos títulos em sua carreira, o maior jogador de todos os tempos tem uma conquista faltando em sua coleção. Trata-se da Copa América. Pelé disputou apenas uma edição da competição, em 1959, na Argentina, e os anfitriões ficaram com o título. Ainda assim, Pelé foi artilheiro, marcando 8 gols nas 6 partidas que disputou.

Leia também: Grandes jogadores que nao venceram a Copa América

Pelo fato de Pelé não ter atuado por clubes europeus, o craque não tem nenhum título de Champions League ou Copa da UEFA, bem como qualquer título nacional europeu.

A Lei Pelé

Como ministro dos esportes, Pelé sancionou em 1998 a Lei Pelé que mudou o modelo de contratos com os jogadores. No modelo anterior, os clubes detinham o “passe” de um jogador e este somente poderia trocar de clube mediante a negociação do seu passe, mesmo estando o atleta sem contrato vigente com o clube proprietário. Isso por vezes, deixava jogadores sem receber salários e dava muito poder aos clubes na negociação. Com a Lei Pelé, o vinculo do jogador passou a ser parte do contrato do atleta com o clube.

Vida pessoal

Pelé atualmente é casado com Marcia Aoki, 25 anos mais jovem, desde julho de 2016. Anteriormente teve dois matrimônios, o primeiro deles, com Rosemeri dos Reis Cholbi, entre 1966 e 1982, com quem teve duas filhas, Kelly Cristina e Jennifer e um filho, Edson, mais conhecido como Edinho que se tornou goleiro profissional e mais tarde foi preso e condenado a 12 anos e 10 meses de prisão por lavagem de dinheiro e narcotráfico. O segundo matrimônio foi com a cantora gospel Assiria Lemos Seixas, entre 1994 e 2008, com quem Pelé teve filhos gêmeos, Joshua e Celeste. Entre estes dois casamentos, Pelé teve um relacionamento com a apresentadora de TV Xuxa, a quem Pelé ajudou a impulsionar a carreira. O relacionamento entre eles aconteceu entre 1981 e 1886.

Pelé teve mais duas filhas de outros relacionamentos. Sandra Machado, falecida em 2006, quem Pelé jamais reconheceu como filha, mesmo ela obtendo na justiça uma ordem para o exame de DNA que confirmou a paternidade, em 1996. Também é pai de Flavia Kurtz, filha da jornalista Lenita Kurtz com quem teve uma relação extraconjugal em 1968. Pelé reconheceu Flavia como filha.

Em 1995 Pelé foi Ministro dos Esportes e em sua gestão aprovou a Lei Pelé ou como também é conhecida Lei do Passe Livre.  

Em 2010, Pelé foi nomeado presidente de honra do New York Cosmos, onde atuou entre 1975 e 1977 e onde encerrou sua carreira como atleta.

10 Curiosidades sobre Pelé

Pelé jogou no Vasco da Gama?

Em 1957, Pelé jogou 3 partidas no Rio de Janeiro com a camisa do Vasco da Gama. Entretanto, trava-se de um combinado entre Santos e Vasco para a disputa de partidas amistosas. Os jogos foram:

19/06/1957 – Santos/Vasco da Gama 6 X Belenenses 1 (Pelé marcou 3 gols).
22/06/1957 – Santos/Vasco da Gama 1 X Dínamo 1 (Pelé marcou 1 gol).
26/06/1957 – Santos/Vasco da Gama 1 X Flamengo 1 (Pelé marcou 1 gol).

Esse mesmo combinado ainda disputou uma partida em São Paulo, mas com a camisa do Santos.

Pelé parou uma guerra

Em 1967, Pelé parou uma guerra. A Nigéria estava em meio a uma guerra civil, quando as duas facções rivais aceitaram uma trégua de 48 horas para pudessem assistir a um jogo de exibição do Santos de Pelé, na cidade de Lagos.

Troca de camisas

O New York Cosmos tinha um frequente problema nos seus jogos: todos os adversários queriam trocar a camisa com Pelé ao final da partida. Para resolver esse problema, o clube americano decidiu dar uma camisa de Pelé para cada um dos atletas rivais. O clube chegou a levar de 25 a 30 camisas de Pelé por jogo, para entregar aos adversários após as partidas.

Pelé marcou 8 gols em uma única partida

No dia 21 de Novembro de 1964, na vitória de 11 x 0 do Santos sobre o Botafogo de Riberão Preto, Pelé marcou 8 gols. A história conta que Pelé foi provocado no jogo de ida em Riberão Preto e teria jogado com raiva no jogo da volta, sendo implacável com seus adversários.

Hat-tricks de Pelé

Todos os números de Pelé impressionam. O craque marcou três ou mais gols em impressionantes 129 jogos em toda sua carreira. Foram 92 hat-tricks, marcou 4 gols em 31 jogos, 5 gols em 6 oportunidades e uma vez marcou 8 gols.

Pelé e Garrincha, invictos pela seleção

A história registra que a seleção brasileira jamais foi derrotada com Pelé e Garrincha juntos em campo.

Dondinho fez, mas Pelé não conseguiu.

Uma das frustrações do Rei Pelé foi não superar (e nem mesmo alcançar) uma marca de seu pai, Dondinho, que marcou 5 gols de cabeça em uma única partida. O máximo que Pelé conseguiu foi marcar 4 vezes de cabeça em um único jogo.

Pelé serviu no exército brasileiro

Quando Pelé completou 18 anos ele não apenas era reconhecido mundialmente, como já tinha inclusive vencido uma copa do mundo, a de 1958 pelo Brasil. No entanto, nada disso impediu o brasileiro de dar uma pausa na carreira e prestar o serviço militar. Durante 6 meses, Pelé serviu no 6º Grupo de Artilharia de Costa Motorizado, em Praia Grande, São Paulo.

Pelé goleiro

Sim, Pelé também atuou como goleiro. E não foi apenas uma, mas quatro vezes, em casos de contusão ou expulsão do goleiro.  Contra o Corinthians em 1964, contra Comercial em 1969, contra o Botafogo da Paraíba, em 1969 e contra o Baltimore dos Estados Unidos, em 1973.

O mistério do armário de Pelé na Vila Belmiro

O armário de Pelé na Vila Belmiro continua lá até hoje e está trancado. E segundo a diretoria do Santos, somente Pelé tem a chave. Ninguém conhece o conteúdo do armário e é proibida qualquer tentativa de acesso ao mesmo.

 

Compartilhe: