O futebol é decidido nos detalhes

Por | 2018-09-13T03:05:50+00:00 10/06/2018|

Porto Alegre, Arena do Grêmio, 21 de setembro de 2016. São quase 22 horas da noite.

Weverton, goleiro do Atlético Paranaense faz sinal ao seu treinador, pedindo autorização para cobrar o pênalti.

É a sétima cobrança da decisão, entre Grêmio e Atlético Paranaense, por uma vaga nas quartas-de-final da Copa do Brasil.

O Grêmio amarga longos 15 anos sem títulos no cenário nacional ou internacional.

Essa noite estreia Renato Gaúcho no comando técnico do Grêmio. Uma nova história começa a ser construída no Grêmio.

Uma cobrança de penalidade, que lá em 2016 poderia ter mudado o destino do Grêmio. Uma única cobrança, cujo resultado ainda ecoa nos dias de hoje.

Naquela fase da Copa do Brasil, o Grêmio havia vencido o jogo da ida em Curitiba pelo placar de 1 x 0, gol do colombiano Bolaños.  E nessa noite, no jogo da volta, o CAP acabava de devolver o placar em gol de André Lima na falha grotesca do goleiro Marcelo Ghroe.

A decisão por pênaltis já se encontrava na fase das cobranças alternadas, depois de empatar em 2 x 2 nas 5 primeiras cobranças.

Como o Grêmio com Kannemann já havia desperdiçado a sua cobrança, bastava ao goleiro Weverton converter a penalidade e pronto: o Grêmio estaria eliminado e o CAP avançaria para enfrentar o Palmeiras nas quartas-de-final.

Weverton faz a cobrança e Ghroe defende.

Na sequência, o atacante Guilherme do Grêmio marcaria e Paulo André, acertando a trave selaria a classificação do Grêmio.

 

Na continuação daquele ano, o Grêmio consagra-se campeão da Copa do Brasil em 2016. E graças a esse título, o Grêmio se classifica para a Libertadores da América em 2017. O Grêmio então vence (com méritos) a Copa Libertadores em 2017. E por conquistar a Libertadores, disputa e ganha a Recopa da América em 2018.

Três grandes conquistas que poderiam não ter acontecido, se a cobrança de Weverton tivesse terminado no fundo da rede. Um detalhe que mudou a história. Como tantos outros do futebol.

A bola na trave, a defesa milagrosa, o pé salvador do zagueiro sobre a linha. O passe errado, o cruzamento certeiro, o esforço recompensado de recuperar uma bola perdida.

Futebol é detalhe. E o Leitura de Jogo está sempre atento a isso.

Deixar Um Comentário