ESTÁDIOS: OS TEMPLOS DO FUTEBOL

Por | 2018-06-13T13:58:57+00:00 08/06/2018|

Os estádios são as edificações que recebem os jogos de futebol. Mas essa definição é simplista demais para o que, de fato, representam os estádios de futebol.

Nos estádios mora o futebol. Neles, o futebol é cultuado a cada partida. As paredes de um estádio exalam o odor de batalhas passadas, as cadeiras gritam como se tivessem voz própria, as vitorias e derrotas ali presenciadas.

Os estádios são templos sagrados do futebol. Como nas igrejas, os torcedores nos estádios cantam hinos de louvor aos seus clubes e cultuam seus ídolos como se não fossem humanos.

Estádios, pontos turísticos em suas cidades.

Desde o modesto Sandygate Road, com capacidade para 700 espectadores na cidade de Sheffield e construído em 1804 (o mais antigo do mundo, segundo o Guines Book), passando pelo gigante Rungrado May Day, na Coreia do Sul, na atualidade o maior estádio do mundo com capacidade para 150 mil pessoas, os estádios de futebol são pontos turísticos em qualquer cidade do mundo.

Como ir a Londres e não visitar o Stanford Bridge, construído em 1877 e até hoje ainda utilizado pelo Chelsea FC? Como ir ao Rio de Janeiro e não visitar o Maracanã, que segundo a FIFA registrou o maior publico de todos os tempos em um jogo de futebol (16/07/1950, 199.854 torcedores)? Como ir a Pequim e não visitar o Estádio Nacional de Pequim, um dos mais belos e modernos estádios do mundo?

Arquitetura, tecnologia e design transformando os estádios

E se o assunto é modernidade, arquitetura tecnologia e design tem sido marca registrada dos estádios modernos. Em todo o mundo, novos estádios têm sido construídos, trazendo o que há de mais avançado na arquitetura.

Na cidade de Munich, na Alemanha, o Allianz Arena, compartilhado pelo Bayern Munich e pelo Munich 1860, é um dos poucos estádios no mundo a mudar de cor de acordo com o clube mandante da partida, ficando vermelho nos jogos do Bayern e azul nos jogos do Munich.

Na cidade de Bordéus, na França, o estádio Matmut-Atlatique é considerado um dos mais belos do mundo.  Foi todo projetado por arquitetos suíços e tem uma estrutura retangular apoiada por 900 mil colunas de aço. Impossível não se impressionar.

O Juventus Stadium de Turim, na Itália, inaugurado em 2011, é considerado um dos primeiros estádios ecologicamente corretos do mundo devido ao baixo investimento para a construção de um estádio a partir do zero. O investimento de R$ 318 milhões representa, por exemplo, uma terça parte do investimento realizado na reforma do maracanã para a copa de 2014, que foi de quase R$ 1 bilhão de reais.

Estádio, como fator que decide jogos

Mas não apenas de modernidade vivem os estádios de futebol. Talvez a maior virtude de um estádio de futebol seja o medo. O medo que impõe aos adversários.

O estádio La Bombonera, do Boca Juniors, pode ser considerado o mais temido do continente americano. Com uma forma assustadora quase vertical, dá sensação de que a torcida está em “cima” do time.

Ainda na Argentina, o estádio “El Cilindro” do Racing é um verdadeiro caldeirão do medo. Com capacidade para 51 mil pessoas e a torcida considerada a mais fanática da Argentina, o caldeirão ensurdece e estremece os adversários.

Outro nessa categoria é o estádio Turk Telecom Arena, do estádio Galatasaray, conhecido como nada mais nada menos que “O inferno”, devido ao vermelho intenso e a pressão exercida durante toda a partida. Um verdadeiro filme de terror para o adversário.

E o que dizer do estádio Azadi no Irão? O estádio tem capacidade para 100 mil pessoas, é um dos mais temidos na Ásia e nele só é permitida a entrada de homens, as mulheres não são bem vindas no estádio.

Sim, os estádios não podem ser definidos apenas como edificações que recebem uma partida de futebol. Jamais.

No Brasil, clubes como o Palmeiras, Corinthians e Grêmio investiram recursos importantes na construção dos seus novos estádios. Outros como o São Paulo e o Internacional, reformaram seus estádios tradicionais. E clubes como Flamengo, Fluminense, Cruzeiro e Atlético Mineiro utilizam estádios públicos – Maracanã e Mineirão – para realizar seus jogos mais importantes.  Mas sem importar se são modernos ou antigos, grandes ou pequenos, próprios ou públicos, cada estádio é um templo, um sagrado templo do futebol, de seu clube e de seus ídolos.

Louvado seja o futebol, no seu templo. Amém.

Deixar Um Comentário