Início » Clubes » Especial: América de Cali, campeão clausura Colômbia 2019

Especial: América de Cali, campeão clausura Colômbia 2019

  • Clubes
Especial América de Cali

O América de Cali é o grande campeão do torneio clausura do futebol colombiano, ao vencer neste 07 de Dezembro, o Junior de Barranquilla, que chegava a sua terceira final consecutiva e buscava o tricampeonato. 

O América de Cali foi fundado em 13 de Fevereiro de 1927 e é um dos clubes mais populares do país, visto que teve importante sequência de títulos nos anos 80 e 90. Conquistou sua 14 “estrela” do futebol colombiano, 11 anos depois da última conquista em 2008 e é superado apenas pelo Atlético Nacional de Medellín com 16 títulos e pelo Millonarios de Bogotá, com 15. 

O América esteve durante 5 anos na segunda divisão colombiana, regressou em 2017 e conquistou com méritos o título do futebol colombiano. Na primeira fase, o clube escarlata ficou na 2 colocação com 10 vitórias, 5 empates e 5 derrotas, atrás apenas do Atlético Nacional. Na fase de quadrangular, 3 vitórias, 2 empates e 1 derrota credenciaram os diabos vermelhos a disputar a final contra o Junior de Barranquilla. 

Frente ao Júnior, no jogo de ida em Barranquilla, empate em 0 x 0, mas já com o América melhor em campo. E no jogo de volta, no Estádio Pascual Guerrero, casa do América, o clube escarlata não deu espaços, foi amplamente superior durante todo o jogo e pelo marcador de 2 x 0 venceu a partida e o campeonato. No primeiro gol, cruzamento do lado esquerdo, o goleador Michael Rangel cabeceia e acerta no travessão, mas a bola rebate nas costas do goleiro Sebastián Viera e entra. No segundo gol, Carlos Sierra recebe passe açucarado e só escorou para dentro do gol, 2 x 0 ainda no primeiro tempo. Para o segundo tempo, bastou ao América controlar o jogo e encaminhar a conquista. 

América de Cali, campeão da Colômbia pela 14a vez. 

O América de Cali de Alexandre Guimarães 

Alexandre Guimarães é o primeiro brasileiro a ser campeão como treinador do futebol colombiano. O alagoano de 60 anos, natural de Maceió, atuou como meio campista por 3 clubes, Municipal Puntarenas, Saprissa e Municipal Turrialba, todos da Costa Rica, país onde também se naturalizou. Em sua primeira temporada como treinador no futebol colombiano e a frente do América de Cali, conquistou o título nacional 

Seu time titular contou com os seguintes jogadores: Neto, Daniel Quiñones, Marlon Torres, Juan Pablo Segovia e Edwin Velasco; Rafael Carrascal, Luis Paz, Carlos Sierra e Matías Pisano; Duvan Vergara e Michael Rangel. 

Neto Volpi 

O goleiro brasileiro, natural de SC, formado no Figueirense e ex-goleiro do Santo André e Inter de Lages, é considerado hoje um dos melhores goleiros do futebol colombiano. Já no torneio apertura de 2019 havia chegado a final com o Deportivo Pasto, mas ficou com o vice-campeonato. Foi o primeiro goleiro brasileiro a ser campeão colombiano. 

Daniel Quinõnes

O jovem lateral de apenas 20 anos foi formado no proprio America de Cali e é titular pela primeira vez. Conquistou seu primeiro título do futebol profissional colombiano. 

Marlon Torres

O zagueiro central colombiano de 25 anos tem na sua força física e na sua liderança dentro de campo suas principais virtudes. Ganha muitas bolas pelo alto, é rápido em transições defensivas. Conquistou sua terceira “estrela”, visto que ja havia conquistado duas vezes o título pelo Atlético Nacional de Medellin. 

Juan Pablo Segovia 

O zagueiro argentino formado no Lanús, chegou no América este ano, vindo do Independiente del Valle do Equador. Capitão do time e principal liderança dentro de campo, o zagueiro deu segurança e consistência ao time. E levantou o caneco.

Edwin Velasco 

O lateral colombiano Edwin Velasco foi campeão da Copa Libertadores e da Recopa pelo Atlético Nacional de Medellín e chegou esta temporada ao America de Cali. Efetivo no apoio, forte na marcação, Edwin Velasco é um lateral com virtudes defensivas e ofensivas. 

Rafael Carrascal 

Um dos grandes nomes da final contra o Júnior, foi eleito o melhor em campo na grande final. O volante Rafael Carrascal conquistou sua segunda estrela pelo futebol colombiano, visto que já havia conquistado o título pelo Tolima em 2018. 

Luis Paz 

Considerado o pulmão do América, o volante colombiano é um personagem único. Formado em eletrônica e mais recentemente em contabilidade (isso mesmo), o volante sonha em ser presidente da federação colombiana de futebol. Incansável dentro de campo, o volante tem como ponto forte o desarme e a interceptação de bola. Foi decisivo para a conquista do título pelo América de Cali. 

Carlos Sierra 

O meio campista Carlos Sierra marcou o segundo gol na vitória frente ao Junior. O meia colombiano chegou ao América para essa temporada, vindo do Deportes Iquique do Chile. Antes, havia jogado no Deportivo Lara, da Venezuela, onde conquistou o campeonato nacional venezuelano. Conquista seu primeiro título no futebol colombiano. 

Matías Pisano 

O meia argentino também chegou ao América para essa temporada, depois de 2 temporadas no Aldosivi da Argentina. O meia (ex-Cruzeiro e Santa Cruz, no Brasil) foi substituído por lesão no jogo decisivo, mas enquanto esteve em campo foi perigoso e preciso em passes de contra ataque. 

Duvan Vergara

O atacante colombiano de 23 anos conquistou seu primeiro título nacional. Foi importante durante todo o campeonato, mas na final foi um guerreiro, que desde o primeiro minuto foi para cima da defesa adversária e no segundo tempo soube cadenciar o jogo e usar o desespero adversário a seu favor. Um dos grandes nomes da conquista escarlata. 

Michael Rangel 

O atacante marcou 14 gols e foi o goleador do América e do campeonato. O atacante que já havia jogado em outros 10 clubes da Colômbia finalmente chegava ao América para conquistar sua terceira “estrela” do futebol colombiano. Decisivo, matador e preciso, o atacante foi o grande nome do campeonato como um todo. 

A maldição de Garabato 

Quando o América de Cali tomou a decisão de profissionalizar o futebol, em 1948, o ex-jogador e diretivo do clube, Benjamín Urrea, mais conhecido por Garabato, contrário a essa decisão, proferiu as seguintes palavras: “Que transformem o América em um clube profissional, que façam o que quiser, mas eu juro por Deus que o América nunca será campeão”. 

Conoce sobre la maldición de "Garabato" al América de Cali

Coincidência ou não, durante 30 anos os Diabos Vermelhos não conquistaram nenhum título.Assim, em 1978, 30 anos após a maldição, foi realizada uma missa com a participação do próprio Garabato, onde o mesmo “cancelou” sua maldição. E incrivelmente, em 1979, o América conquistaria seu primeiro título profissional colombiano, sob direção do técnico Gabriel Ochoa Uribe e com grandes jogadores no elenco como Juan Manuel Battaglia, Gerardo González Aquino Alegría Valencia, Aurelio Pascuttini, Américo Quiñonez y Alfonso Cañón. 

E mesmo depois de alguns títulos no futebol colombiano, a maldição parecia manter-se viva. Isso porque o América de Cali chegou 3 vezes consecutivas a final da Copa Libertadores da América e perdeu todas, em 1985, 86 e 87. Mais tarde, em 1996 o América voltaria a disputar a final da Copa Libertadores e novamente ficou com o vice-campeonato, deixando o título nas mãos do River Plate. 

Se a maldição persiste ou não, não sabemos! Mas em 2019, o América de Cali é o grande campeão do futebol colombiano. 

A Lista Clinton e o rebaixamento 

Devido a suspeitas de envolvimento do clube com o narcotráfico colombiano, o América de Cali terminou por ser incluído na “Lista Clinton”, quer era a lista “negra” de empresas o pessoas vinculadas ou relacionadas com dinheiro provenientes do narcotráfico. 

Impedido de ter patrocinadores e com diversos problemas internos administrativos, o América de Cali mergulhou em uma crise esportiva que terminou com o seu rebaixamento a segunda divisão da Colômbia em 2011, justamente quando era o maior campeão nacional com 13 títulos, empatado com Millonarios. 

A agonia da segunda divisão durou 5 anos, ou mais precisamente 1808 dias, até que em um jogo épico, o América de Cali venceu o Deportivo Quindió e assegurou seu regresso para a primeira divisão do futebol colombiano. 

E assim, em 2017 o América de Cali retornava a elite do futebol colombiano, para em 2019 voltar ao lugar mais alto. Um  gigante está de volta!